Copa São Paulo de Futebol Júnior

IMAGEM COPAO Galo da Comarca já disputou algumas edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior, inclusive deu trabalho para times da capital paulista, carioca e até mesmo times internacionais. Confira abaixo algumas das campanhas do XV na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Nas duas últimas participações, XV de Jaú enfrentou o Fluminense

2007 – Duas vitórias em três jogos

O ano de 2007 marcava a volta do time principal na segunda divisão paulista após acesso contra a Ferroviária, em plena Fonte Luminosa (VEJA AQUI O JOGO DO ACESSO E A CAMPANHA DAQUELE ANO). No time de base, o XV de Jaú caiu no grupo R, ao lado do Fluminense (tapetão carioca), Trem – AP e ECUS – SP. O local de disputa dos jogos foram na cidade de Suzano, no estádio Francisco Marques Figueira. Na estreia quinzeana, derrota para o Fluminense por 3×0.

Nos dois outros jogos, o XV de Jaú conquistou 100% de aproveitamento. Venceu os donos da casa (ECUS) por 1×0, e o Trem –AP por 3×2.

O XV de Jaú só não passou para a próxima fase devido ao saldo de gols. Equipes como América de Rio Preto e Guarani também somaram 6 pontos, porém com 3 gols de saldo, enquanto que o XV teve um saldo de 1 gol negativo. Na classificação final, a campanha do Galo da Comarca foi melhor do que as do Vasco da Gama, Palmeiras e Noroeste, que teve apenas uma vitória no campeonato e tomou 11 gols em 3 jogos.

 

2010 – Capoeira para vencer

Em 2010, o XV de Jaú se tornou notícia por causa da preparação para a disputa da copinha. O auxiliar técnico Caculé implementou a prática da capoeira nos treinamentos do time jauense, para que eles tivessem maior mobilidade e molejo. Confira na reportagem veiculada no Globo Esporte:

Mas a capoeira não deu muito certo. O XV de Jaú caiu no grupo F, ao lado de Fluminense (o tapetão novamente), São Bernardo e Primeira Camisa – SP. A cidade sede foi São Bernardo, e os jogos foram disputados no estádio Baetão.

No primeiro jogo, enfrentamos o Fluminense, que se beneficiou de decisões duvidosas do juiz da partida, Alex Leite Palmira. Não foi a primeira vez que o clube carioca se beneficia por algo que não merece em sua história, e fomos vítimas das armações tricolores. Uma tempestade caiu durante praticamente todo o jogo. O intervalo da partida teve duração de 40 minutos, esperando a chuva acalmar, e a partida quase foi cancelada. O jogo caminhava para um empate em 0x0 em um campo sintético totalmente alagado e com formações de bolhas (veja no vídeo abaixo) quando, aos 47 do segundo tempo, o juiz anotou um pênalti mandrake para os cariocas, e Welington Nem definiu a partida.

Nos outros dois jogos, derrotas para os donos da casa por 1×0 (fotos retiradas do blog “JOGOS PERDIDOS”) e para o Primeira Camisa por 2×1, que terminou como líder do grupo.

Classificação:

Fonte: wikipédia

Fonte: wikipédia

Outras participações

1983 – Derrotando os donos da casa

Na 15ª edição da copinha, apenas 20 clubes participaram. E um deles o XV de Jaú. Na época, os grupos eram compostos por 5 equipes, e a vitória valia 2 pontos. A curiosidade fica por conta da época de disputa do campeonato. Apesar de ser e dição de 1983, a copinha foi disputada no final do ano de 1982. O Galo caiu no grupo 3 ao lado de Ponte Preta, Portuguesa, Goiânia e Vasco da Gama. Os jogos foram disputados no estádio do Canindé.

Fonte: wikipédia

Fonte: wikipédia

1985 – O grupo da morte

CorinthiansA copinha trouxe uma novidade: um time europeu participou como convidado do campeonato (Bayern de Munique). O XV de Jaú caiu no grupo H, o grupo da morte daquele ano. Além do Galo, Corinthians, Cruzeiro e Grêmio. Na estreia, derrota por 3×0 para o Grêmio. Na segunda rodada, recuperação quinzeana e vitória por 3×0 em cima do Cruzeiro. No último jogo, o XV de Jaú deu trabalho para o Corinthians. De acordo com o site do historiador Marcelo de Paula Dieguez, o Corinthians só venceu por 1×0 graças a atuação do goleiro Júlio César.

Classificação:

Fonte: wikipedia

Fonte: wikipedia

1988 – Vitória contra mexicano

Em 1987 não houve disputa da copinha por causa de questões políticas. Mas em 1988 o campeonato voltou a ser disputado, com o XV de Jaú entre os participantes. Novamente houve um participante estrangeiro, o mexicano Universidad de Guadalajara. E o time mexicano caiu justamente no grupo do XV, junto com Bahia e São Paulo. Na estreia, o XV empatou em 1×1 com o Bahia, e depois foi derrotado por 2×0 para o São Paulo. No duelo contra os mexicanos, o Galo da Comarca mostrou sua força e venceu por 3×1.

Fonte: wikipedia

Fonte: wikipedia

1991 – Regulamento ofensivo

Nesse ano, 40 clubes participaram da disputa. O regulamento era um pouco diferente, e valorizava a ofensividade. As vitórias com 3 ou mais gols valiam 3 pontos, enquanto que as vitórias com  2 ou menos gols valia apenas 2 pontos. Empate com gols valia um ponto para cada time. Mas se o jogo terminasse empatado sem gols, havia uma decisão por pênaltis, e o vencedor conquistaria 1 ponto, e o perdedor nada. O XV de Jaú caiu no grupo B, ao lado de Atlético Mineiro, Santa Cruz, Moto Club e Noroeste. O Galo da Comarca derrotou Santa Cruz e Moto Club, por 1×0 e 2×1, respectivamente, mas perdeu para Atlético Mineiro e Noroeste, ambos por 1×0.

Fonte: wikipedia

Fonte: wikipedia

 Tiago Pavini

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s